Surdez: o que realmente causa depressão e outros problemas mentais?

Surdez o que realmente causa depressão e outros problemas mentais

perda auditiva em si não é a principal causadora de outras doenças, mas sim os conflitos internos e externos de cada indivíduo 

(Foto: Reprodução / Internet)


Você possui dificuldades para entender o que as outras pessoas falam? Escuta músicas e televisão em um volume muito alto e quase sempre é alvo de piadinhas sobre não conseguir entender o que falam de primeira? Se a resposta for sim, então você pode estar sofrendo de algum grau de perda auditiva e provavelmente é hora de procurar ajuda de um profissional da área para iniciar um tratamento adequado.

Pesquisas feitas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) mostra que pelo menos 5% da população mundial apresentam perda auditiva devido à grandes ruídos e frequência de aparelhos como fones de ouvido, que são um verdadeiro vilão à saúde sonora. 

Somente quem perdeu a audição sabe o quanto é difícil lidar com as situações diárias e o preconceito. Por se tratar de uma deficiência, muitas pessoas acabam isolando e dando um tratamento diferenciado a quem sofre de surdez, deixando-as desconfortáveis com sua situação e algumas vezes sentindo-se um “peixe fora d´água”. 

Tanto quem perdeu a audição repentinamente, quanto quem já nasceu surdo podem sofrer diversos problemas de saúde que levam à outras doenças cerebrais. 


Depressão e outras doenças


Surdez o que realmente causa depressão e outros problemas mentais

Depressivo, o indivíduo se isola cada vez mais da sociedade e perde a vontade de fazer suas atividades, dando claros sinais da doença 

(Foto: Reprodução / Internet)


Antes de mais nada, vale ressaltar que a perda auditiva em si não é a principal causadora de outras doenças, mas sim os conflitos internos e externos de cada indivíduo que a possui que podem fazer surgir outros problemas de saúde ligados ao cérebro como depressão, Alzheimer, demência, entre outros.

As alterações de humor, os altos e baixos em lidar com o problema da surdez e as dificuldades do dia a dia podem levar às pessoas, em especial os idosos, a uma profunda tristeza e uma falta de aceitação e adequação, provocando grande declínio na autoestima e até mesmo confusão com a própria identidade. 

A fonoaudióloga Andrea Seiva, especialista em Audiologia, conta que a surdez, assim que diagnosticada, deve ser tratada imediatamente, para evitar o aparecimento de doenças degenerativas e depressão. “A surdez causa isolamento auditivo e dessa forma a pessoa fica mais suscetível a doenças do esquecimento. O ideal é que ela comece o tratamento o mais rápido possível, assim pode se adequar ao seu novo estilo de vida e conseguir aprender a viver da melhor maneira possível”, diz.

Segundo a especialista, quando o dano acontece, a região cerebral deixa de ser estimulada, o que pode resultar no aparecimento dessas e outras doenças. “Imagine que o cérebro é como um músculo. Quando a pessoa é diagnosticada com surdez, essa parte do seu cérebro fica inativa, e sendo um músculo, se não for exercitado, ele enfraquece e fica menos eficiente, então, se o cérebro não receber certos estímulos, as chances de outras doenças aparecerem são maiores e se houver demora no tratamento, fica cada vez mais difícil controla-las”, finaliza Andrea. 


Diferenciando tristeza de depressão

Como falado anteriormente, é normal que a pessoa sinta momentos de profunda tristeza, dificuldades de aceitação e até mesmo irritabilidade por nascer ou se tornar surdo. 

Acontece que existe uma linha tênue entre a tristeza e a depressão profunda e deve ser observada e analisada a fundo, para que não dê espaço a algo maior. 

Assim como sentimentos de raiva ou alegria, a tristeza está presente na vida de todos, muitas vezes quando passamos por algum trauma, dificuldade ou exclusão social, o que pode gerar picos de irritabilidade e até mesmo violência, em alguns casos. Já a depressão é percebida pelo grau, intensidade e a constante tristeza, que parece não ter fim. 

Depressivo, o indivíduo passa a se isolar em um mundo só dele, abrindo-se para pouquíssimas pessoas e culpando-as por sua atual situação, sentindo-se muitas vezes humilhado, ridicularizado e excluído pela sociedade.


Começando o tratamento em casa

Pode não parecer, mas a família e amigos são peças fundamentais no tratamento para surdez, por se tratar de uma experiência solitária para o indivíduo, que requer muita atenção, compreensão e cuidado de entes e amigos queridos.

Se o paciente tiver perda auditiva de nascença, então é na infância que ele constitui toda sua personalidade e sua estrutura psíquica, aprendendo a lidar com sua diferença e suas limitações através dos ensinamentos familiares. 

Já se o indivíduo adquirir a surdez ao longo dos anos, com a velhice ou em algum acidente, o ideal é que a família e os amigos estejam em massa presentes em todo o tratamento, para mostrar que apesar da situação, a pessoa terá todo apoio e ajuda necessária para se adequar e levar uma vida o mais normal possível. 


Tratamento médico


Surdez o que realmente causa depressão e outros problemas mentais

É importante aceitar ajuda e tratamento médico para que se possa viver uma vida normal e tranquila 

(Foto: Reprodução / Internet).


Para iniciar o tratamento, o médico poderá indicar medicamentos específicos para cada caso e, se for algo mais necessário, indicar o uso de aparelhos auditivos

A adaptação com o uso de aparelhos auditivos pode ser a parte mais difícil de todo o tratamento, pois gera desconforto, estresse e até dores de cabeça, dependendo da intensidade do som retornado ao indivíduo. 

Para melhor se adequar, é indicado que a pessoa faça todo um acompanhamento médico com fonoaudiólogos, otorrinos e terapeutas, que vão ajudar na escolha do aparelho e no desenvolvimento de todo o tratamento. 

Hoje em dia, aparelhos mais modernos, coloridos, mais discretos e tecnológicos devolvem às pessoas a autoestima e a confiança, ajudando-as a enfrentar a vergonha, o medo e até o preconceito. Exemplo do Aparelho Auditivo Invisível: INVISÍVEIS - IIC


Lidando com a diferença

Apesar dos altos e baixos, o mais importante é encarar a surdezcom aceitação e vê-la como algo diferente, realizar todo o tratamento prescrito pelos profissionais da área, aceitar ajuda de amigos e familiares e lidar com o preconceito, que infelizmente existe até hoje.


Surdez o que realmente causa depressão e outros problemas mentais

Aprender a se comunicar em libras ajuda as pessoas a se sentirem mais queridas e aceitas na sociedade. 

(Foto: Reprodução / Internet)


Atualmente existem muitos programas, aulas em libras e até mesmo empresas que readéquam quem sofre de perdas de audição no convívio com a sociedade, deixando as pessoas livres para viverem uma vida normal e se sentirem acalentadas pela sociedade e pelo ambiente profissional e estudantil.