A surdez e os idosos: saiba como o problema pode afetar a qualidade de vida.

A surdez e os idosos saiba como o problema pode afetar a qualidade de vida das pessoas


A Surdez e os Idosos


Imagine chegar na fase mais tranquila da sua vida, quando você tem tempo para tudo e para todos, e de repente não poder se comunicar com a sua família e nem com os seu amigos? 


Conversas acontecem ao seu redor, mas você não pode realmente participar, pelo menos não como você gostaria e costumava fazer. Torna-se mais fácil  ficar em casa do que tentar ir a qualquer lugar barulhento, porque simplesmente é muito frustrante tentar ouvir o que os outros estão dizendo e não conseguir. 

Essa é a triste realidade da surdez para muitos idosos todos os dias, a chamada presbiacusia, causada pela perda auditiva natural que acontece com o envelhecimento.  Se na faixa etária entre 44 e 54 anos o percentual de pacientes com perda auditiva já chega a 11%, com o passar dos anos esse número só aumenta subindo para os 25%, na população com idade entre 55 e 65 anos, e batendo quase na casa dos 50%, em idosos com mais de 70 anos.


Como a surdez impacta emocionalmente os idosos

A surdez e os idosos


Se você está entre os muitos idosos com perda auditiva, você sabe que, mais do que qualquer outra deficiência em algum dos sentidos, a perda auditiva o afasta de outras pessoas. E o impacto emocional causado por esse isolamento, afeta muito mais do que a sua capacidade de ouvir, podendo causar diversos outros problemas, como depressão, solidão, raiva, insegurança e doenças cognitivas.

Idosos com surdez que não são tratados, consequentemente sofrem com uma qualidade de vida menor do que aqueles que usam aparelhos auditivos para resolver o problema. E isso tem uma explicação bastante lógica: a surdez costuma aumentar a percepção de que uma pessoa idosa perdeu suas habilidades para executar as atividades diárias ou faz ela parecer lenta, o que geralmente não é o caso.

Essa percepção negativa dos outros pode levar a uma autopercepção negativa, que por sua vez leva a uma baixa autoestima, frustração e até depressão.

Outro problema comum enfrentado por pessoas idosas com perda auditiva é que, culturalmente, a surdez é tratada como apenas uma parte normal do envelhecimento, já que, como a surdez causada pela idade progride devagar, os idosos e seus familiares frequentemente demoram para reconhecer o quadro e não levam a sério e, mesmo aqueles que procuram tratamento, normalmente não estão com pressa.


Consequências físicas

surdez e os idosos

A perda auditiva também pode afetar a saúde física dos idosos, seja diminuindo sua segurança pessoal, provocando doenças ou quedas. Idosos com quadro de surdez normalmente tem dificuldade em ouvir um alarme ou uma sirene, ou podem não ouvir um grito de alerta. 

O isolamento social que freqüentemente acompanha a perda auditiva também pode ser prejudicial, dificultando interações importante, como uma conversa com seu médico sobre remédios e tratamentos.

Além disso, idosos  socialmente isolados são menos propensos a se exercitar e mais propensos a beber , fumar e ter uma dieta pouco saudável, resultando em mais problemas de saúde física, como  doenças cardíacas, diabetes e pressão alta. 

Como você pode ver, a perda auditiva afeta todos os aspectos da vida para os idosos. Por isso, é importante ficar atento. Se você é um idoso, procurar tratamento para a sua perda auditiva pode ajudá-lo a se reencontrar com você mesmo e devolver o seu bem-estar. Já se você tem um familiar ou amigo idoso que está nessa situação, não se omita. Fale com ele e mostre que ele pode ser plenamente saudável novamente!


Agora, conheça os 3 tipos de perda auditiva, clique aqui!