Como identificar a perda auditiva



Como identificar a perda auditiva

Existe mais de um tipo de perda auditiva (Foto: Reprodução / internet)

Você possui dificuldades para escutar e entender o que as outras pessoas falam? As pessoas costumam reclamar que você assiste televisão ou escuta músicas em um volume muito alto? Se sim, você pode estar sofrendo de perda auditiva

Apesar da perda auditiva se manifestar mais habitualmente em pessoas da maior idade, é possível que alguns jovens e adultos de 40 ou 50 anos apresentem sintomas de deficiência auditiva. Isso ocorre mais facilmente nos dias atuais pois estamos diariamente expostos à barulhos e poluições sonoras, bem como o uso constante de fones de ouvidos, que podem ser um vilão à nossa audição. 

Na maioria dos casos, a perda auditiva não tem cura, apenas pode ser controlada. As causas mais comuns da deficiência auditiva são esses ruídos e também o envelhecimento, às vezes precocemente. 

Para ajudar a controlar esses primeiros sintomas de surdez, são pensados e desenvolvidos diversos modelos de aparelhos auditivos, que se adaptam ao corpo, ao estilo de vida e à necessidade de cada um.


Tipos de perda auditiva


Cada tipo de perda auditiva tem um diagnóstico diferente (Foto: Reprodução / Internet)


Pode não parecer, mas existem três tipos de perda auditiva e cada um deles tem um diagnóstico diferente e também um tratamento específico. São eles: perda auditiva sensorioneural, condutiva e mista. 


PERDA AUDITIVA SENSORIONEURAL: É o tipo mais comum. Causada por danos a uma célula nervosa da parte interna do ouvido, esse tipo de perda auditiva atinge pessoas que são frequentemente expostas a altos sons e ruídos, como por exemplo, funcionários que trabalham em fábricas, DJ´s, pedreiros, etc. A perda auditiva sensorioneural também atinge pessoas da terceira idade com maior frequência e ainda pode ser causada por alguns tipos de enfermidades comuns como meningite, caxumba ou o uso excessivo de alguns medicamentos como as aspirinas. 


PERDA AUDITIVA CONDUTIVA: Esse tipo de perda auditiva é mais raro. Ela ocorre quando os ouvidos deixam ou diminuem sua capacidade de conduzir sons ao ouvido interno. Uma das causas mais comuns para esse tipo de perda auditiva é o excesso de cera. Se a cera se acumular no ouvido, pode causar uma obstrução do canal externo do ouvido, provocando a perda auditiva. Além disso, infecções no canal do ouvido que não são rapidamente tratadas e tímpano perfurado também podem levar à perda auditiva condutiva. 


PERDA AUDITIVA MISTA: É uma mistura entre perda auditiva sensorioneural e perda auditiva condutiva. Sendo mista, ela causa prejuízo nas habilidades dos ouvidos, dificulta a passagem do som e também pode causar danos ao nervo auditivo. Existem várias formas de chegar à perda auditiva mista. Além da idade e da exposição aos fortes ruídos, esse tipo de perda também pode acontecer devido a algumas enfermidades e acidentes como traumatismo craniano, perfuração nos tímpanos, uso exagerado de alguns medicamentos e também excesso de cera no ouvido. 

Apesar de serem diferentes, os três tipos de perdas auditivas podem ser causados apenas em um ouvido. Quando isso ocorre, é chamada surdez unilateral, por ser causada apenas em um dos ouvidos. Agora quando o dano acontece nos dois ouvidos, é chamada surdez bilateral, e essa é a mais comum.


Como constatar que sofro de perda auditiva?


Usar tampões de ouvidos com frequência e evitar sons e ruídos muito altos ajuda a prevenir a perda auditiva (Foto: Reprodução / Internet)


Apesar de parecer fácil perceber a perda auditiva, é necessário muito mais do que o dia a dia para constatá-la de fato. Os primeiros sintomas são básicos e comuns, como por exemplo, encontrar dificuldades para entender o que os outros dizem, falar alto demais sem perceber, sentir que os ouvidos parecem estar ‘tampados’ frequentemente, etc. 


Quando esses primeiros sintomas são identificados pelo próprio paciente, o ideal é que a pessoa vá até um médico especializado na área, os otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos, para fazer alguns testes e eliminar de vez a dúvida ou então iniciar um tratamento o mais rápido possível que irá controlar essa perda auditiva, independente do grau em que ela estiver. 



Como prevenir a perda auditiva?

Como estamos diariamente expostos à ruídos e barulhos altos, o ideal é sempre optarmos por tampões de ouvido. Outros métodos de prevenção bem básicos são ouvir música em volumes mais baixos, indicados nos próprios aparelhos sonoros e limpar frequentemente ou ouvidos, para evitar acúmulo de cera.


O tratamento 


A perda auditiva não tem cura, mas pode ser tratada e facilmente controlada. Na maioria dos casos, pacientes que apresentam níveis básicos ou moderados de perda auditiva precisam entrar com tratamentos através do uso de aparelhos auditivos, que são específicos para cada grau de perda auditiva. Agora, se o paciente estiver em estado avançado, ele também poderá precisar fazer cirurgias ou até mesmo implantes. 


Ainda está com dúvidas? Entre em contato com a Ouviclin (clicando aqui), que nós vamos te ajudar!