tamanho de fonte:   - A   /   + A

Deficiência Auditiva

Quer mais informações?

Deficiência Auditiva

Deficiência auditiva é o nome utilizado para designar a perda total ou parcial da capacidade de ouvir sons, podendo ser ocasionada a partir de causas congênitas (fatores genéticos hereditários/não hereditários ou complicações durante a gravidez/parto) ou adquiridas (doenças infecciosas, ruídos excessivos, acúmulo de cera, envelhecimento, etc.).

De acordo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 466 milhões de pessoas em todo o mundo têm deficiência auditiva incapacitante e a estimava é  que esse número chegue a mais de 900 milhões até 2050.

Embora existam diversos tipos de deficiência auditiva, como a neurossensorial, condutiva e mista, a presbiacusia (perda de audição que ocorre gradualmente à medida que se envelhece) é a mais comum em pessoas a partir dos 55 anos.

Diagnóstico e graus de deficiência auditiva

Pessoas que possuem perda auditiva normalmente apresentam alguns sinais que tornam possível identificar a existência do problema, no entanto, o diagnóstico exato da deficiência  só pode ser feito por um profissional através de exames apropriados.

Para a audição ser considerada normal o resultado deve ser de 0 a 20 db. Caso ultrapasse esse número, a deficiência é diagnosticada de acordo com o grau da perda de audição, podendo ser:

Leve (21 A 40 dB) –  Se torna difícil ouvir sons suaves e entender a fala de outras pessoas, principalmente em locais muito barulhentos.

Moderada (41 A 70 dB) –  Além da incapacidade de compreender a fala de outras pessoas, existe ainda a dificuldade de ouvir até mesmo sons mais altos, como o choro de um bebê, por exemplo.

Severa (71 A 90 dB) – Torna-se difícil ouvir até mesmo os sons mais altos, como o toque de um telefone, por exemplo, e igualmente é impossível compreender a fala de outras pessoas.

Profunda ( > 91 dB) – Impossível se comunicar com outras pessoas e ouvir qualquer som, até mesmo os extremamente altos, como a turbina de um avião.

Como os aparelhos auditivos podem ajudar você a ter uma vida melhor

Não perca nem um só instante  - Participe totalmente dos momentos com a sua família, amigos e colegas de trabalho.

Fique conectado  - A deficiência auditiva pode levar ao isolamento e a depressão. Não corre esse risco! Com aparelhos auditivos, você pode se conectar com o mundo e recuperar a sua qualidade de vida.

Não incomode quem está do seu lado  - Usar um aparelho auditivo pode ajudar também quem convive com você diariamente, reduzindo a frustração e evitando que eles precisem repetir tudo inúmeras vezes. Assim, a conversa fluirá muito melhor!

Fique atento  - A perda auditiva contribui para reduções nas habilidades cognitivas e de comunicação, assim, corrigindo a sua deficiência com um aparelho auditivo, você poderá se desenvolver plenamente como qualquer pessoa saudável.

Fique atento ao que está acontecendo ao seu redor  - A audição permite que você detecte alarmes, sirenes, tráfego, telefones, campainhas e outros sinais importantes em casa, no trabalho e em todos os lugares por onde você passa.

Não comprometa a sua carreira  - Uma deficiência auditiva, mesmo leve, quando não tratada pode afetar seu sucesso no trabalho. Usando um aparelho auditivo você poderá voltar a se comunicar normalmente no trabalho e manter, ou até melhorar, a produtividade.

Se você possui deficiência auditiva ou conhece alguém que sofre com esse problema, não ignore. Marque uma avaliação com a gente e vamos juntos encontrar a melhor solução!