Quando procurar um Otorrinolaringologista

Quando procurar um Otorrinolaringologista

O otorrinolaringologista, carinhosamente também chamado de “otorrino” pela maioria dos pacientes, tem um campo de atuação bastante extenso, tratando muito mais do que doenças do ouvido, nariz e garganta. Na verdade, é exatamente a importância dessas três áreas e suas interligações com as regiões que compreendem a cabeça e ao pescoço, que tornam a otorrinolaringologia uma das mais completas áreas da medicina, tendo o papel de pesquisar, tratar e acompanhar diversos outros problemas muito mais frequentes do que se imagina.

O que trata um otorrinolaringologista

Quem nunca sofreu com uma inflamação na garganta que lhe deixou sem voz, perdeu várias noites de sono por causa de um zumbido insuportável no ouvido ou precisou ficar trancado em um quarto escuro sem aguentar sequer ver a luz do sol por causa de uma enxaqueca daquelas, talvez não compreenda a importância de um otorrinolaringologista. Mas esses especialistas fazem toda a diferença na qualidade de vida de quem sofre de problemas como: infecções e inflamações das vias aéreas, distúrbios digestivos, da fala, audição,cefaléias, tonturas, zumbidos, tosse, problemas de sono, trauma facial e tumores, por exemplo. Além de ainda poderem ajudar na terapia especializada em radiologia, endoscopia, eletrofisiologia e cirurgias cérvico-faciais.  

Áreas de especialização da otorrinolaringologia


Quando procurar um Otorrinolaringologista


Otologia / Neurotologia: trata doenças da orelha, incluindo traumatismo (lesão), câncer e distúrbios da via nervosa, que afetam a audição e o equilíbrio como, infecção no ouvido, perda de audição, tonturas, zumbido e dores no ouvido, rosto ou  pescoço.

Otorrinolaringologia pediátrica: responsável por tratar doenças em crianças com problemas especiais no nariz, ouvido e garganta, incluindo defeitos de nascimento da cabeça e pescoço e atrasos no desenvolvimento como, infecção do ouvido (otite média), amígdalas e infecções adenoides, problemas das vias aéreas, síndrome de Down, asma e sinusite.

Cabeça e pescoço: trata tumores cancerosos e não cancerosos na cabeça e no pescoço, incluindo a tireoide e a paratireóide.

Cirurgia Plástica Facial e Reconstrutiva: responsável pelo tratamento cirúrgico cosmético, funcional e reconstrutivo de anormalidades do rosto e pescoço como, septo desviado, rinoplastia (nariz), elevação facial, palato fendido, pálpebras caídas e perda de cabelo.

Rinologia: trata distúrbios do nariz e sinos como, transtorno sinusal, sangramento do nariz, nariz entupido e  perda de olfato.

Laringologia: responsável por tratar distúrbios da garganta, incluindo problemas de voz e de deglutição como, dor de garganta, rouquidão, desordem de deglutição e refluxo gastroesofágico.

Alergia: responsável pelo tratamento por medicação, imunoterapia (alergias), entre outras sensibilidades como, rinite, sinusite crônica, laringite, tonturas e dores de garganta.

Mas, quando procurar um otorrinolaringologista

Normalmente a consulta por um otorrino é indicada por um médico clínico geral, pediatra ou até mesmo geriatra, após ter detectado um problema específico que precisa ser tratado por um especialista da área.

O que não impede o próprio paciente de tomar a iniciativa e procurar diretamente um otorrinolaringologista, caso sinta algum sintoma que indique uma doença na região do ouvido, nariz, garganta, pescoço ou cabeça.

O mais importante é que, independente do caminho que se percorra para chegar até ele, nunca se deixe de buscar tratamento.



Confira agora 6 dicas para proteger a audição.